Que a minha história inspire
a líder que há em ti.

Solteiras, casadas ou divorciadas. Sejam vocês mães ou não.
Altas, baixas, ruivas, morenas, mulatas, loiras…

Empreendedoras. Empresárias, nutricionistas, gestoras, deputadas,
donas daquelas pequeninas lojas de bairro, jovens a sonhar com o seu próprio negócio…

Africanas, lusitanas, europeias, americanas… enfim, MULHERES!

Olá! Grata por estarem desse lado.
Quero partilhar convosco um pouco mais de mim.

Eu sou a Evódia e a minha história começa lá nas longínquas montanhas de Santo Antão, uma das dez ilhas vulcânicas do meu querido país, onde nasci e cresci, Cabo Verde.

Quando vivia em Cabo Verde, todos os dias de manhãzinha ia vender os pães que o meu pai e eu fazíamos de madrugada. Com o balaio à cabeça, a satisfação de chegar a casa e termos conseguido aquelas moedinhas era enorme! Eu sabia o valor que aquele dinheiro tinha para a família. A seguir, tomávamos banho e saíamos. Ele ia dar aulas e eu ia para a escola com as minhas irmãs. Sempre fui menina do papá e todas as tarefas dos homens eu fazia sem pestanejar.

Muitas vezes, encontrava o meu concorrente, que subia relaxadamente, com o balaio dele à cabeça como se nada fosse! Na altura, percebi que eu já era muito focada nos objetivos e bastante competitiva. Para mim, voltar com um pão no balaio era sinónimo de fracasso!

Mas, porque vos conto isto? Porque se há sentimento que hoje me invade a alma é este: YOU GIRL! Já fizeste tanto! E SEMPRE com BRIO, PROFISSIONALISMO e HUMILDADE!

«Ainda bem que puxaste por mim, professora Evódia! Olha onde cheguei!».

Orgulho-me de afirmar que na minha família somos todos empreendedores. Até o meu pai, professor do 1.º ao 4.º ciclo, que, agora depois de reformado, decidiu montar um negócio de esteiras — aquelas feitas com a corda da bananeira para dormirmos ao ar livre nas quentes noites de verão e que são um sucesso lá por aqueles lados! (Ai, pai, as meninas cá em Portugal já me pediram esteiras tuas, sabias?!) 

Eu achava que ia ser professora por causa dele. Gritava para a minha prima, armada em boss: “Vai estudar! Tens de ser alguém na vida!”  Ela só tinha 7 anos! Hoje, ocupa um lugar de destaque numa embaixada portuguesa e costuma dizer-me: “Ainda bem que puxaste por mim, professora Evódia! Olha onde cheguei!”.

 

Mas eu não fui para professora. Estudei em Lisboa, em Paris e nos EUA. Sou mestre em Linguística pela FCSH-UNL, ex-bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian e formei-me em Liderança na University of Minnesota (EUA), na Bridgewater State University (EUA) e no Instituto Pedro Pires para a Liderança (Cabo Verde). Fui assessora do Ministro da Presidência do Conselho de Ministros e da Comunicação Social de Cabo Verde e Coordenadora no Aldeias Infantis SOS Cabo Verde. E quando a minha carreira estava lançada, deixei tudo, para seguir a minha missão:

Ser aquela mulher cheia de power que está aqui sempre pronta para inspirar outras mulheres e ajudá-las a encontrarem a melhor versão delas próprias. 

Hoje faço do empowerment das mulheres a minha missão de vida!

Sou Coach Transformacional especialista em Liderança e Imagem Feminina, sou a fundadora do projecto @inspiringwomentalks, a primeira plataforma lusófona de formação, empowerment e projecção de marcas lideradas por mulheres, e sou a vossa Evódia!

Mas sou principalmente mulher e mãe de dois rapazes. Uma mãe e mulher que já viveu altos e baixos, que já passou por um burnout como tantas de vós, que chora, sofre, ri às gargalhadas. Que tem de sentir a terra, enraizar-se, meditar e alinhar-se consigo mesma sempre que necessário! Que gosta de um bom copo de vinho e de usar o seu batom vermelho enquanto faz uma live lá nas redes sociais. E no topo de tudo isto, sou aquela mulher ambiciosa, mentora, que LIDERA A SUA PRÓPRIA VIDA!

Tenho muito orgulho na mulher que sou. Amo-me. Sei que a minha maior virtude tem sido eu não abdicar da Honestidade e Humildade em tudo o que faço. E valorizar-me! Conheço os meus pontos fortes, mas também os meus medos e limitações e estou sempre pronta a trabalhar o meu self-empowerment. Lidero!

Continuo a recordar aquela pirralha irreverente, que desbravou mundo, foi atrás dos seus sonhos e, em 2016, foi distinguida como Young African Leader pelo ex-Presidente dos Estados Unidos Barack Obama.

Eu, ali a apertar as mãos de Obama, em Washington, no âmbito do programa Mandela Washington Fellowship For Young African Leaders, uma bolsa de estudos do departamento do Estado norte-americano, atribuída anualmente aos jovens líderes mais promissores de África.

Foi transformador! Hoje sei que posso ser exatamente quem eu quiser ser. 

E que, realmente, “impossible is nothing”!

Mas sei-o também graças aos meus filhos, pois foi a maternidade que trouxe a maior transformação da minha vida. Eles são a minha maior fonte de inspiração.

Estou finalmente a cumprir o meu propósito e só o auto-conhecimento me trouxe até aqui. O meu propósito é,

«ajudar mulheres ambiciosas a empoderarem a sua imagem profissional, política e executiva, para comunicarem com confiança e assertividade a sua marca pessoal. Posicionarem-se como líderes de sucesso nas suas áreas de atuação e impactarem o mundo.»

Mulheres que, embora cheias de talento e ambição, às vezes duvidam das suas capacidades. Sim, vocês mulheres, aí desse lado. Eu acompanho-vos na jornada transformacional de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal. No mergulhar dentro de vocês mesmas e utilizando todas as ferramentas dos processo de coaching de liderança e imagem feminina que hoje tenho, graças às minhas constantes formações e, principalmente, à experiência que adquiri ao longo deste trabalho intensivo com centenas de vós.

Hoje, eu sou esta Evódia. Já percorri mundo, amo de onde vim, mas agarro as rédeas da minha vida e determino para onde vou.

E como acredito que uma verdadeira lider é aquela mulher que conhece como ninguém o seu passado, as inseguranças e erros, já viveu na pele as adversidades e os percursos tortuosos da vida, mas que nunca desiste, hoje gostava que também tu olhasses para a tua história, o teu caminho.

Eu estarei aqui, pronta para te ouvir.

Um abraço de mulher para mulher,

Evódia